Páginas

domingo, 29 de agosto de 2010

piegas.


É uma forma de sentir meu coração pulsar a cada perna, cada olhar e a cada suspiro dado, toda vez que vejo passar. Uma forma ridícula de desejo, contudo, honesto.

Sou aquele panfleto colado em ruas e vielas, sou aquele saco plástico passeando pelo céu nublado de uma quinta-feira comum.

E a cada tentativa frustrada de leitura labial, eis que vejo o choro escorrer pela face lisa e branca. Pobre coitado esse amor, tanto sentimento desperdiçado que só tenho a observar o teu fim.


30 comentários:

  1. Eu nem sei o que dizer! Simplesmente perfeito"

    "Sou aquele panfleto colado em ruas e vielas, sou aquele saco plástico passeando pelo céu nublado de uma quinta-feira comum."

    Seguindo!

    ResponderExcluir
  2. Depois de tanto tempo sem escrever.
    chegou cheio de inspiraçãao..

    ResponderExcluir
  3. " Pobre coitado esse amor, tanto sentimento desperdiçado que só tenho a observar o teu fim."
    seus textos sempre vão ao fundo da minha alma...

    ResponderExcluir
  4. ''É uma forma de sentir meu coração pulsar a cada perna, cada olhar e a cada suspiro dado, toda vez que vejo passar. Uma forma ridícula de desejo, contudo, honesto.''

    O desejo tão forte como a espada insóluta guerreira, está sempre acima, ao ar, pronta pra lutar até vencer a farca razão, que nos convence o contrário!

    Me encantei muito com cada linha que dedilho aqui.

    ResponderExcluir
  5. "É uma forma de sentir meu coração pulsar a cada perna, cada olhar e a cada suspiro dado, toda vez que vejo passar. Uma forma ridícula de desejo, contudo, honesto."

    adorei essa parte. muito bom.

    ResponderExcluir
  6. Muito bom, ' Pobre coitado esse amor, tanto sentimento desperdiçado que só tenho a observar o teu fim."
    ja passei muito por isso

    ResponderExcluir
  7. Adorei!
    Retratou de maneira exemplar e lírica o sentimento e o piegas do mesmo!
    ;D

    ResponderExcluir
  8. Tô aqui no seu canto pra dizer que gostei muito dos seus post! Vou te seguir, são inspiradores os seus recados.

    ResponderExcluir
  9. Opa... Demorou, mas veio brilhante hein?
    Muito bom man... Mais uma vez vc mostrou q é excelente...
    Isso aí, Fodão! :D

    ResponderExcluir
  10. Nossa...que inspirado e que inspirador. Adorei o jeito com que usou as palavras. e o tom do seu blog, meio blasé. Sabe o nome do blog tbm me chamou bastante a atenção. afinal flores de plástico não são comos as originais, mas podem ser tão bonitas quanto.

    parabéns pelo blog e pelo post, se puder dá uma passadinha lá no meu:

    http://reflexo-da-alma.blogspot.com

    abraços, m!sunderstood

    seguindo aqui!

    ResponderExcluir
  11. Fico tentando imaginar a pessoa que existe dentro deste teu corpo. É tão sublime a forma que transmite tanto amor e outros sentimentos nas tuas palavras. Acredito que escrevemos o que sentimos, estava esquecido em nossas almas, mas alguém o dispertou.

    bjobjo'

    Esperei invernos e verões por
    novas palavras tuas.. apaixonantes!
    Apareça!!!

    ResponderExcluir
  12. palavras quando são bem usadas se tornam belos texto...assim como o seu....muito bom...

    ResponderExcluir
  13. waw, muito profundo e inspirador, parabéns pela postagem, é realmente muito boa, o layout do blog também é incrivel, quando puder e quiser passa lá no meu blog.


    www.this---isme.blogspot.com
    (...) Descobri que se não podemos arrancar uma página da vida, podemos jogarㅤㅤ ㅤㅤㅤ ㅤㅤㅤ ㅤㅤㅤ ㅤㅤㅤ ㅤㅤㅤ ㅤㅤㅤ ㅤㅤㅤ ㅤㅤㅤ ㅤㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤㅤ ㅤㅤㅤ ㅤㅤㅤ ㅤㅤㅤ ㅤㅤㅤ ㅤㅤㅤ ㅤㅤㅤ ㅤo livro inteiro no fogo.

    ResponderExcluir
  14. minha mentira sincera também é piegas.
    eu já tinha lido seu blog antes do seu link aparecer debaixo do meu... mas não tinha reunido forçar pra comentar.
    eu sou o saco plástico que voa na quinta-feira nublada, também.
    como disse no som de chuva, o blog é comunitário e pode ser acessado por qualquer um para postar material, seja video, foto, texto ou música. qualquer problema em formato de postagem é só me dar um aviso.
    beijos!

    ResponderExcluir
  15. gostei do texto, ;)
    mas e o beirutando, como está? nunca mais soube de nada :O

    ResponderExcluir
  16. Bom saber que seres maravilhosos ainda há nessas terras esquecidas de amores. Muito obrigada pelo teu carinho de aparecer no meu louco mundo. Sou Nordestina [uma delicia de região], Bahiana e de Itabuna [espero que conheça]. AHSUAHSUASHUH'
    Sempre estarei aq, o teu blog é um dos que me perco constantemente.

    Flores, as mais belas, para inspirar-te sempre!
    bjobjo'

    ResponderExcluir
  17. Gostei do texto, muito bom e achei bem legal também o nome do seu blog, pois as flores de plásticos não morrem.

    abraços.

    ResponderExcluir
  18. E que se encerre definitivamente.

    ResponderExcluir
  19. Ou seja, você sempre está no meio da multidão, mas mesmo assim se sente sozinho...
    Até mais...

    ResponderExcluir
  20. @pisovelho
    você tem todo o direito de interpretar da forma e maneira que achar melhor. (nunca tinha pensado dessa forma que comentou).

    E os outros, é legal ler cada palavra de vocês são visões diferentes da coisa.
    Obrigado pelas mentiras sinceras de vocês, continuem comentando!

    ResponderExcluir
  21. otimo texto, gostei da forma como voce escreve e expressa. continue assim!

    nova tira todo dia :B
    -
    http://niddotiras.blogspot.com/2010/09/colheita-feliz.html

    ResponderExcluir
  22. Tem o dom pra escrever.


    mauh-humor.blogspot.com

    valew

    ResponderExcluir
  23. Nossa Theo eu adoreii seu textoo.. muito bom,
    Piegas mas de maneira sútil.. seu uso de metáforas,analogias.. seu modo de escrever deu uma graça a mais ao texto, o deixou simplesmente apaixonante...
    Adorei o seu blog...
    Beijos!!

    http://entrelinnhas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  24. Gostei da forma como escreve. Mas tenho uma pergunta: Onde estão as flores de plástico?

    ResponderExcluir
  25. no coração de cada um, Mister Neurotic

    ResponderExcluir
  26. Tão sincero, tão platônico. Lindo! Vou visitar este blog outras vezes.
    Desejo boas inspirações!
    Mirella

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário. A POESIA AGRADECE!